Arrombando o Cofre

De Protopia
Revisão de 08h50min de 20 de abril de 2016 por AltDelCtrl (discussão | contribs) (Criou página com '<!-- O modelo abaixo cria um capítulo de livro. Basta preencher os campos com as respectivas informações. --> <!-- Os sinais "<!--" e "-- >" indicam trechos que ficam ocultos ...')
(dif) ← Edição anterior | Revisão atual (dif) | Versão posterior → (dif)
Ir para: navegação, pesquisa


A Via de Chuang Tzu
Chuang Tzu

Arrombando cofres.jpg
:Como segurança contra os ladrões que roubam bolsas, leiloam bagagens e arrombam cofres,
Devemos prender todos os objetos com cordas, fechá-los com cadeados, trancá-los.
Isto (para os proprietários) é elementar bom-senso
Mas quando um ladrão forte se aproxima,
Apanha tudo,
Põe nas costas e segue seu caminho
Com um só medo:
De que as cordas, cadeados e trancas possam ceder.
Assim, o que o mundo chama
De bom negócio é apenas um meio
De pegar o saque, embrulhá-lo, torná-lo bem forte
Em uma carga adequada para ladrões mais espertos.
Quem, entre os espertos,
Não passa seu tempo empilhando seu saque
Para um ladrão maior que ele próprio?
Na terra de Khi, de aldeia em aldeia,
Podíamos ouvir galos cantando, cachorros latindo,
Pescadores lançando redes,
Agricultores arando vastos campos,
Tudo era bem delineado
Por linhas fronteiriças.
Em quinhentas milhas quadradas
Havia templos para antepassados, altares
Para deuses agrícolas e espíritos dos grãos.
Cada cantão, condado ou distrito
Governava-se segundo leis e estatutos —
Até que num dado instante o Procurador Geral Tien Khang Tzu
Assassinou o Rei e usurpou-lhe todo o estado.
Estava contente de saquear a terra?
Não,
Ele também apoderou-se das leis e estatutos ao mesmo tempo,
E todos advogados também, sem falar na polícia.
Todos tomavam parte no mesmo embrulho.
Evidentemente, o povo chamou Khang Tzu de ladrão,
Mas deixaram-no em paz
Viver tão feliz como os Patriarcas.
Nenhum estado pequeno diria uma palavra contra ele,
Nenhum estado grande iria a seu favor.
Assim, por doze gerações, o estado de Khi
Pertenceu à sua família.
Ninguém interferiu
Em seus direitos inalienáveis.
A invenção De pesos e medidas
Facilita o roubo.
Assinar contratos, colocar selos,
Assegura o roubo.
O ensino do amor e do dever,
Linguagem adequada
Que prova que o roubo
É realmente para o bem comum.
Um homem pobre deve fugir
Ao roubar uma fivela de cinto.
Mas se um rico rouba todo um estado
É aclamado O estadista do ano.
Daí, se você quiser ouvir os melhores discursos
Sobre o amor, o dever, a justiça, etc.
Ouça os estadistas.
Mas quando o riacho secar
Nada crescerá no vale.
Quando o monte de areia chegar a certo nível,
E o poço das tuas cercanias ficar entupido.
E quando os estadistas e advogados
E pregadores do dever desaparecem,
Não há mais roubos e o mundo Fica em paz.
Moral: Quanto mais você acumular princípios éticos
E deveres e obrigações
Para trazer todos na linha,
Tanto mais você recolherá o saque
Para um ladrão como Khang.
Como argumento ético
E princípio moral
Os maiores crimes mostram-se
Necessários, e, de fato,
Um sinal benéfico
À humanidade.
A Via de Chuang Tzu
Os Dois Reis e a Não Forma Arrombando o Cofre Deixar as Coisas como estão